domingo, 9 de novembro de 2014

Avatar

Tema da redação do Enem 2014 é sobre publicidade infantil no Brasil

A prova de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014 tem como tema "Publicidade infantil em questão no Brasil". A informação foi divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) minutos após o fechamento dos portões dos locais de prova pelo Brasil.

Leia também:
Segundo o G1, Bruno Rabin, professor de redação do Colégio de A a Z, do Rio, considera o
tema é bem interessante. "Não é um tema óbvio por não partir de uma efeméride. Segue a tendência dos últimos três anos no Enem", diz.
O professor afirma que este tema que entra no assunto mais amplo, da comunicação e os limites da comunicação. Envolve a discussão sobre liberdade de expressão, de um lado, e proteção às crianças, de outro.

"Existem certos abusos e uma preocupação das famílias, pais e educadores em relação aos excessos da publicidade da criança. Como lidar com isso preservando a  liberdade da própria publicidade. Seria interessante ao candidato imaginar que há no Brasil algumas regras e iniciativas de autorregulamentação publicitária para filtrar algum tipo de comunicação que possa ser considerada nociva", afirma.

Vanessa Mesquita Dutra, professora de redação do Cursinho da Poli, de São Paulo, destaca que a prova do Enem tem trazido direitos humanos como foco.

Em 2012, o Enem lançou na redação um tema sobre movimento imigratório para o Brasil. No ano passado, o tema da redação foi a lei seca. "A publicidade voltada para a criança é violenta. Ela não tem estrutura psicológica para processar as informações apresentadas numa propaganda. Uma criança gosta de um determinado personagem, e a tendência é que queira consumir produtos relacionados a esse personagem. Muita vezes a personagem está atrelada a um produto que faz mal à saúde", afirma.

Para a professora, o tema vai exigir muita organização do candidato para formular sua tese e os argumentos que justifiquem seu ponto de vista. E chegar a uma conclusão que apresente propostas de intervenção ao tema.

Célio Tasinafo, diretor pedagógico da Oficina do Estudante, de Campinas (SP), diz que o candidato deve fazer um debate sobre mercado consumidor e o peso da progaganda. "Quem domina a estrutura da dissertação deve produzir um texto bom."

"O jovem deve saber que a criança é mais vulnerável, todo o capitalismo incentivando o consumo leva a esta situação de que criança seja um consumidor especial sem ter um controle. É o caso de propagandas que associam alimentos a super-heróis, como se comendo aquilo a criança vai ter superpoderes", destaca. "Precisaríamos ter controle maior sobre propagandas direcionadas a estas crianças que acreditam em tudo e não têm experiência de vida. Se em adultos isso já é evidente, imagine para uma criança."

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

FAÇAM SEUS COMENTÁRIOS E AGUARDEM PUBLICAÇÃO: